Buscar

Share

Roedores


Pertencem a ordem Rodentia, são mais de 3 000 espécies espalhadas por todo o mundo, os mais comuns no nosso meio são camundongo (Mus musculus), ratos de telhado (rattus rattus) e ratazanas (Rattus norvegicus).


Duas ou três espécies podem estar presentes num local, mas isso não é comum, como regra, cada uma delas ocorre numa área.


Possuem a audição, o olfato, o paladar e tato muitos bem desenvolvidos, mas não daltônicos, enxergando muito mal.


O controle de roedores é um grande desafio tanto para quem se dedica a pesquisa de novas formulações como para quem trabalha no campo aplicando o rodenticida. Não existe uma receita pronta para solução de um problema com roedores, tendo em vista a grande adaptabilidade, suas características sensoriais e físicas.


Características

Do ponto de vista sanitário, da proteção de alimentos e de outros bens, as espécies de maior importância são os reodores comensais, aqueles que vivem em estreito contato com o homem: ratazana (Rattus norvegicus), rato preto ou rato de telhado (Rattus rattus) e/ou camundongo (Mus musculus). Todas essas espécies de grande prolificidade.


As perdas econômicas causadas pelos roedores são muitas; entre elas: o rendimento dos cultivos, a qualidade dos produtos agrícolas armazenados, além dos danos as estruturas e instalações residencias e industriais. 

Tipos
Rattus norvegicus (Rato de esgoto)

R. norvegicus habitualmente vive em tocas no solo, próximo a cursos dágua ou valas, se deslocando através de trilhas atéos pontos de alimentação. É uma espécie neofóbica e excelente nadadora.



Peso médio do adulto: 300 gr

Comprimento do corpo: 17 - 25 cm

Característica da cauda: 15 - 22 cm, escura em cima e clara em baixo.

Orelhas: pequenas, com pêlos curtos.

Pelagem: áspera, castando acinzentada

Fezes: em forma de cápsula, aprox. 20 mm.

Alimento: são onívoros, aprox. 28 gr/dia, agem com desconfiança frente a objetos e alimentos estranhos.

Água: podem extrair dos alimentos.

Ninhos: princ. tocas no solo.

Capacidade de nadar: excelente.

Raio de atividade: 15-30 metros

Tempo médio de vida: 24 meses

Indivíduos por ninhada: 8 - 12.

Desmame: 28 °.

Ninhada/ano: 7.


Rattus rattus (Rato de telhado ou rato preto)

R. rattus difere não só em tamanho, como também em seus hábitos, tais como, construção de ninhos em topos de edificações e até mesmo em Árvores. Tem grande habilidade em escalar e se deslocar em vigas e outras estruturas das edificações, graças ao apoio de seu longo rabo. Também gosta de água diferentemente das outras espécies, o M. musculus é extremamente neófilo, possuindo em sua característica morfológica o alinhamento da cabeça com a espinha dorsal, podendo penetrar em pequenos orifícios. Destaca-se também pelo tamanho proeminente de suas orelhas contrastando com o tamanho de seu pequeno corpo.



Peso médio do adulto: 200 gr

Comprimento do corpo: 15 - 22 cm

Característica da cauda: 18 - 25 cm, escura em cima e clara em baixo.

Orelhas: grandes, quase sem pêlos.

Pelagem: cinza negro

Fezes: em forma de vareta, aprox. 12 mm.

Alimento: são onívoros (grãos, nozes e frutas), aprox. 28 gr/dia, desconfiados frente a objetos e alimentos estranhos.

Água: podem extrair dos alimentos.

Ninhos: telhado e sótão.

Capacidade de nadar: podem nadar, mas não gostam.

Raio de atividade: 15-30 metros

Tempo médio de vida: 18 meses

Indivíduos por ninhada: 6 - 10.

Desmame: 28 °.

Ninhada/ano: 7.


Mus musculus (camundongo)


Peso médio do adulto: 15 gr

Comprimento do corpo: 6 - 9 cm

Característica da cauda: 7,5 - 10 cm, pequena e uniformemente escura.

Orelhas: grandes.

Pelagem: marrom claro, cinza claro.

Fezes: em forma de vareta, aprox. 0,5 mm.

Alimento: prefere cereais em grãos, aprox. 3 gr/dia, lambiscador pouco receoso.

Água: geralmente extrai dos alimentos.

Ninhos: vivem casais, podem fazer tocas ou abrigar-se em caixas, móveis, despensas.

Capacidade de nadar: podem nadar.

Raio de atividade: 3 - 9 metros, muito territorial

Tempo médio de vida: 12 meses

Indivíduos por ninhada: 3 - 8.

Desmame: 28 °.

Ninhada/ano: 5 - 6.


Metodologia do Serviço / Processo
  • >> Inspeção
  • >> Identificação
  • >> Iscas e armadilhas
  • >> Medidas preventivas

Feito a identificação do roedor, selecionamos a melhor isca atrativa. A técnica a ser utilizada dependerá do ambiente e atividade do cliente. Sempre optando pelo mais seguro.

  • 1. Iscas parafinadas;
  • 2. Iscas granuladas;
  • 3. Pó de químico;
  • 4. Mix e pré-mix;
  • 5. Iscas dose única;

Contamos com técnicos capacitados e modernas técnicas de combate a roedores.


Tipos de Iscas:

  • Isca Parafinada
  • Ideal para locais externos (ralos, jardins, etc.), é de gosto extremamento amargo é de difícil ingestão para o ser humano, mas para os ratos é fatal, levando-os a morte por hemorragia interna.







  • Isca Granulada
  • Tem a mesma finalidade da parafinada, porém deve ser usada em locais internos (forros, telhados, garagens, etc.), mata o rato também por hemorragia interna.






  • Pó Químico
  • Apesar dos ratos viverem também em esgotos eles são mamíferos muito limpos, sempre estão se "lambendo". O produto em pó é aplicado nas tocas onde os ratos circulam e se "encostam". Quando o rato se lambe ele entra em contato com o pó que o leva à morte.







  • Armadilhas Adesivas
  • São placas plásticas recobertas com superfície de cola adesiva, que servem para capturar e monitorar pontos críticos nas áreas.







  • Iscas Cereais
  • Mistura de fortes atrativos com produtos diversos, efeito rápido e limpo.







  • PPI - Ponto Permanente de Iscagem
  • Porta iscas de material plástico resistente fixado com parafusos junto ao piso e, são abertos com chave especial que ficam de posse da empresa. Servem para proteger as iscas de intempéries e são numeradas e mapeadas.







  • Porta Iscas de Jardim
  • Coberturas plásticas com suporte metálico que são fixados ao solo. São colocados em pontos estratégicos protegendo as iscas de chuvas e sol.







  • Porta Iscas de Parede
  • Coberturas plásticas que são fixadas em paredes a 10 cm de altura do piso. São colocados em pontos estratégicos protegendo as iscas de chuvas e sol.





  • Diversos
  • Para cada necessidade um tipo de controle.



Tratamento e Controle

O êxito no controle de roedores passa necessariamente, pelo manejo integrado de pragas, onde a inspeção e a identificação das espécies é fundamental para a decisão da estratégia de controle a ser adotada.


É vital para o controle desta praga que sejam seguidas todas as etapas do Controle Integrado de Pragas Roedores, associadas ao saneamento e higienização da área para evitar fatores de favorecimento à praga. Como base de controle devemos eliminar os acessos, o alimento, a água, e realizar:

  • Auditoria para identificação dos pontos problemáticos;
  • Conhecermos as proximidades do estabelecimento como um todo, pois na maioria das vezes, há fatores de riscos que dão indícios das invasões por ratos, sejam elas constantes ou intermitentes.
  • Devemos lembrar que os ratos são animais de hábitos sociais, isto quer dizer que dificilmente andam sozinhos. Quando se imagina ter apenas um rato num determinado local, uma colônia de alguns ratos bem astutas que nos driblam diante das suas habilidades e perspicácias, esses passos serão realizados por nosso departamento técnico na etapa de inspeção.

Você nosso cliente deve adotar as medidas preventivas:


  • Realizar o saneamento da área;
  • Instalação de bloqueios mecânicos;
  • Eliminação das fontes alternativas de alimentos;

Num segundos passo,


  • Colocaremos armadilhas na área interna, vias de trânsito e acesso;
  • Colocação de iscas raticidas nas áreas externas e tocas;
  • Monitoração constante para evitar reinfestações

Curiosidades:

A OMC - Organização Mundial do Comércio pressupõe a existência de 3 roedores por habitante. No Brasil que possui cerca de 170 milhões de habitantes o prejuízo por ano é de US$ 4,0 bilhões. Cada rato consome por dia 10% de seu peso. O perigo porém é maior se levarmos em conta a contaminação dos alimentos por urina e fezes e a proliferação de doenças causadas por estes roedores.